Projeto T-OKR: TRANSFOLHA adota metodologia de ponta para gestão

Dando mais um importante passo para melhorar nossa gestão, nós, da TRANSFOLHA, começamos o Projeto T-OKR para implementar um modelo de gestão baseado na metodologia OKR (Objectives and Key Results) – que, em uma tradução livre, podemos é Objetivos e Resultados Chaves.

Agora teremos uma abordagem mais simples para alinhar e engajar metas mensuráveis – tudo desenvolvido com um conjunto de métricas que medem o progresso para alcançarmos nossos objetivos estratégicos.

Mas vamos explicar, primeiro, do que se trata tudo isso…
A metodologia OKR foi criada por Andy Grove, mundialmente conhecido por ser co-fundador da Intel. Este método se destacou no universo corporativo por suportar o crescimento do Google, que passou de 40 pessoas em 1999 para mais de 60 mil nos dias de hoje. Incrível, não é mesmo?

Voltando para a TRANSFOLHA
O OKR tomou como base os objetivos que estão no Mapa Estratégico desde que foi implementado em 2019, direcionando todas as nossas ações estratégicas como, por exemplo, a descentralização das operações. Ou seja, avançamos na criação de um modelo de gestão híbrido com a metodologia do BSC – Balanced Score Card (do Mapa Estratégico) e o OKR – Objectives and Key Results.

Para trazer uma visão do funcionamento da metodologia é importante destacar suas duas camadas.

1ª Camada: Estratégica – utilizando os objetivos do Mapa Estratégico
2ª Camada: Tática –  cada Time Funcional gerencia seus OKRs, sendo responsável pelas atividades que direcionam o alcance dos resultados estratégicos.

Na prática, um depende do outro e sem os OKRs Táticos, os OKRs Estratégicos não poderão atingir os objetivos.

André Ferraro, Gerente de Projetos Estratégicos e TI, lembra que a metodologia OKR é a melhor forma da TRANSFOLHA focar nos objetivos, pois “…tudo na vida é uma questão de escolha. Você não pode fazer tudo, então precisa escolher e cuidar.”

Manutenção da nova metodologia
Teremos um ritual de acompanhamento dos OKRs em que cada responsável acompanhará as ações semanalmente – ao mesmo tempo em que, mensalmente, apresentará em uma reunião de prestação de contas o resultado de cada OKR. Caso a meta não seja atingida, um Plano de Ação com foco na causa raiz deverá ser apresentado.

Isso é importante, pois o que move as metas são as ações.

Vamos manter uma forte disciplina tanto para implementar o OKR quanto para acompanhar os Planos de Ação, com avaliações trimestrais de cada meta estabelecida.

Principais benefícios e resultados que a Metodologia OKR vai trazer para a TRANSFOLHA
– Agilidade: Ciclos mais curtos e metas que permitam ajustes
– Alinhamento e cooperação entre as equipes: O uso de OKRs melhora e colaboração entre os diferentes times, pois como cada área tem uma parte do OKR, só podemos alcançar o resultado global se todos atingirem seus resultados por área, ou seja, a colaboração é um fator determinante no modelo.
– Comunicação clara: Transparência e simplicidade tornam possível que os times entendam quais são as nossas metas e prioridades
– Engajamento dos colaboradores: Abordagem de baixo para cima na identificação de metas, conectando os colaboradores aos objetivos da TRANSFOLHA. A meta é definida por todos, gerando cognição.
– Autonomia e responsabilidade: Os times recebem uma direção clara e são livres para escolher como alcançar os OKRs e se tornam responsáveis por seus objetivos e por apoiar os demais times para que também cheguem nas suas metas.
Foco e disciplina: Número reduzido de metas que cria foco e determina os grandes objetivos da TRANSFOLHA .

Trabalhando para o melhor resultado
Vale ressaltar que criamos 36 Indicadores de Desempenho que representam os KRs (Key Results), ou Resultados Chaves. Agora, no momento em que você está lendo esta postagem, estamos na etapa de definição das metas com os responsáveis, como explica André Ferraro: “O OKR gera uma cultura focada em resultados, e não focada em tarefas, porque o que queremos oferecer aos nossos times com essa metodologia são objetivos e não apenas tarefas e metas”.

Isso está acontecendo agora, mas assim que definirmos quais serão essas metas, o próximo passo será realizar um treinamento, que estará nas competentes mãos da área de Projetos Estratégicos para aplicar o ritual de acompanhamento  –  e, o mais importante, a capacitação para o desenvolvimento de Planos de Ação através de um Método de Análise e Resolução de Problemas.

Pode parecer complicado, sabemos, mas garantimos que tudo isso será feito com técnicas simples e eficazes. Outro ponto importante da iniciativa é o sistema que irá apoiar a gestão dos OKRs que é o T-OKR (Transfolha Objectives and Key Results) desenvolvido pelo nosso colaborador Gueilee Pereira, da área de Projetos Estratégicos.

Siga nosso blog, nosso Facebook e Instagram, que vamos te atualizando sobre mais este processo implementado para melhorar ainda mais nosso trabalho para você!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *